Seriam necessários 300 anos para catalogar todas as árvores da Amazônia, aponta estudo

Entre 1707 e 2015 foram identificadas mais de 530.000 amostras de árvores.

O fato da Floresta Amazônia ser reconhecida como o maior tesouro natural do planeta, não é uma novidade para ninguém. Mas, por pelo menos uma vez na sua vida, você já se perguntou quantas espécies diferentes de árvores existem na região? Pense além. Descubra agora um número que represente toda quantidade de exemplares de árvores que fazem parte da Amazônia. Evidentemente, uma conta quase impossível de ser feita.

De acordo com um estudo redigido pelo Naturals Biodiversity Center, da Holanda, mais de 11 mil espécies de árvores foram identificadas no bioma. Outro dado curioso levantado pelos pesquisadores é que para catalogar todas as árvores da Amazônia seriam necessários os impressionantes 300 anos de estudos.

View over the Orinocco river in Venezuela
Como base para as afirmações, a instituição holandesa se pautou numa análise que conta com registros desde 1707 até 2015, no qual identificou-se a existência de mais de 530.000 amostras de árvores, o equivalente a 11.676 espécies, 1.225 gêneros e 140 famílias.

Apesar da extensa lista de árvores registradas até o momento, os pesquisadores acreditam que a biodiversidade da floresta comporta um número superior a 16 mil espécies – o que representaria um período de pelo menos três séculos até que tudo pudesse ser corretamente catalogado. Importante lembrar que o levantamento dos holandeses teve como base todo o território da floresta, inclusive as áreas não pertencentes ao Brasil.

“Com 7.696 espécies de árvores coletadas, 61% do número estimado de espécies de árvores veio da Amazônia Brasileira”, aponta o estudo publicado na revista Nature. A média nacional é de 6,8 coleções a cada cem quilômetros quadrados.

Para ver o documento completo, acesse o link.

Guia de Práticas Sustentáveis