Empresa Investe R$ 5,6 bi em Novas Usinas Eólicas e Solares no Brasil

Entre solares e eólicas, as quatro novas usinas de energia da Enel Green Power deverão operar somente em 2021.

A empresa Enel Green Power, subsidiária da holding italiana Enel, pretende investir R$ 5,6 bilhões em quatro parques eólicos e um solar na região nordeste do país. Ao todo serão 1,3 gigawatts de nova capacidade de energia para clientes nordestinos.

Além disso, nas regiões que já contam com a energia renovável da empresa, (como Rio de Janeiro, São Paulo e Goiás) a Enel também deve destinar investimentos para a melhoria da rede no Brasil, com 17 milhões de clientes.

Como Funcionará As Novas Usinas Eólicas e Solares

Complexo solar da Enel Green Power localizado no Piauís. Empresa pretende instalar novas usinas eólicas e solares no estado. (Divulgação/Enel Green Power)

As novas usinas, que serão construídas no Piauí, Bahia, Rio Grande do Norte e Pernambuco e serão apoiadas, principalmente, por meio de contratos de venda pela produção futura.

Todos eles foram negociados com clientes corporativos no chamado mercado livre de energia, onde grandes consumidores (como indústrias, por exemplo) podem firmar contratos com geradores.

A empresa está construindo, no Piauí o parque solar São Gonçalo III e o parque eólico Lagoa dos Ventos III, que fará parte do maior projeto de energia eólica da companhia (em nível mundial): o complexo Lagoa dos Ventos. Já os outros projetos eólicos ainda estão em construção:  Cumaru (RN), Fontes dos Ventos II (PE) e Morro do Chapéu Sul II (BA).

De acordo com a matéria do site Valor Econômico, as usinas deverão começar a operar em 2021, com exceção do parque eólico Lagoa dos Ventos II, previsto para 2022. Este adotará “rigorosos protocolos de segurança” para garantir a proteção dos trabalhadores envolvidos na construção e das comunidades próximas. 

Cuidados Prestados às Obras das Novas Usinas Eólicas e Solares

Divulgação/Enel Green Power

Em em referência à pandemia de Covid-19, o presidente da Enel Green Power, Salvatore Bernabei, disse em nota que “o início da construção de 1,3 GW de nova capacidade renovável é um marco sem precedentes na história da nossa empresa no Brasil, especialmente diante dos desafios impostos pelo cenário atual”.

A companhia destacou que a Enel Green Power tem realizado “campanhas massivas de testagem” para prevenção, cuidando de todos os funcionários do setor de canteiro de obras.

Novas Usinas Ampliam Aposta de Contratos Privados em 2020

Multinacionais encontram nos contratos privados, um novo caminho para novas Usinas Eólicas e Solares no Brasil. (Divulgação/Enel Green Power)

Neste ano, muitos investidores em energia eólica e solar no Brasil têm ampliado fortemente as apostas na viabilização de projetos por meio de contratos privados, no chamado mercado livre de eletricidade, em tendência que marca mudança importante para a indústria no país, mostraram estudos de consultorias do setor.

Se antes as empresas de energia aguardavam com enorme ansiedade os leilões promovidos pelo governo para contratar novos empreendimentos, que oferecem contratos de longo prazo para compra da produção das usinas, agora, além da Enel multinacionais encontram nos contratos privados, um novo caminho para colocar em pé seus investimentos no país.

Divulgação/EDP Renewables

A multinacional portuguesa EDP Renováveis, por exemplo, anunciou para 2021 um projeto eólico e um solar no Brasil com vendas apenas no mercado livre, através de um cliente não revelado.