fbpx

Refrigeração com Energia Solar Evita Desperdício de Comida na Nigéria  

Sendo inaugurado oficialmente ainda em 2015, a ColdHubs, atualmente, conta com 54 unidades em 22 estados em toda a Nigéria.

No movimentado mercado de Ogere, na Nigéria, a maior disputa é por vender produtos frescos ainda durante as primeiras horas do dia. Como, pela tarde, o sol está no seu auge e a temperatura aumenta cada vez mais, a comida começa a apodrecer muito mais rápido. Com o passar dos dias, seu valor pode, inclusive, cair pela metade.

É por isso que Nnaemeka Ikegwuonu, fundador da ColdHubs, decidiu adotar uma nova abordagem para solucionar o problema de desperdício de alimentos na Nigéria. Sua ideia foi providenciar unidades de armazenamento de alimentos movidas à energia solar.

energia solar refrigerando alimentos

Não é por acaso que o nigeriano já recebeu diversos prêmios por sua iniciativa e, recentemente, foi anunciado como o vencedor do desafio AYuTe Africa Challenge, que garante financiamento de $1,5 milhões para iniciativas promissoras, que usem de tecnologia para reimaginar a produção e distribuição de alimentos no país.

Energia Solar, noticias

Sendo inaugurado oficialmente ainda em 2015, a ColdHubs, atualmente, conta com 54 unidades em 22 estados em toda a Nigéria. Seus refrigeradores movidos a energia solar são usados por mais de 5,250 pequenos agricultores, varejistas e atacadistas. Em 2020, a companhia conseguiu armazenar, ao total, cerca de 40,000 toneladas de comida, reduzindo em muito o desperdício e, de quebra, dando um fôlego para o lucro dos fazendeiros.

Nas próprias palavras de Ikegwuonu:

“A comida que normalmente perdemos ao longo da cadeia de distribuição, seja durante o plantio, colheita ou transporte, é aquela direcionada para consumo humano. A nossa missão é reduzir a deterioração dos alimentos devido à falta de refrigeração durante pontos críticos de sua produção”

Lidando com a crise de desperdício de alimentos

Dentre os 113 países ao redor do planeta que estão dentro do Índice Globam de Segurança Alimentícia, a Nigéria ocupa o 100º lugar. Segundo levantamentos recentes, cerca de 88 milhões de pessoas no país enfrentam problemas relacionados à falta de comida; 12% estão desnutridas.

ColdHubs - Solar Cold Rooms in Nigeria - energypedia

O maior problema, no entanto, não é que não há comida disponível no país, mas que há muito desperdício. Por incrível que pareça, 40% da comida produzida na Nigéria nem sequer chega ao seu consumidor final. Este número equivale 31% do uso total da terra, bem como 5% da emissão de gases de efeito estufa do país.

Os ColdHubs de Ikegwuonu nada mais são do que unidades refrigeradoras de alimentos, com cerca de 3 metros quadrados, que mantém a comida fresca por até 21 dias. Os modos mais convencionais de refrigeração com esta mesma medida, provavelmente, precisariam ser abastecidos com, pelo menos, 20 a 30 litros de diesel, todos os dias!

Com o uso de placas solares, no entanto, a empresa – ao longo de todas as suas unidades – evita que mais de 1 milhão de quilogramas de CO2 adentrem na atmosfera do planeta, ao mesmo tempo em que abastecem as unidades 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Solar-powered ColdHubs, Nigeria

Olhando para o futuro da energia solar

Um dos objetivos da ColdHub é justamente desenvolver uma tecnologia capaz de congelar os alimentos, o que será excelente para comunidades ribeirinhas, que subsistem principalmente de pesca. Ikegwuonu também ressalta que a maior parte destas comunidades sequer possuem acesso à energia. Portanto, seria para o maior bem das comunidades que as unidades de refrigeração possuíssem a capacidade de produzir blocos de gelo.

Voltz Lança Primeiro Triciclo Elétrico De Produção 100% Brasileira

Trem Turístico Movido a Energia Solar Ligará Argentina a Machu Picchu

Startup Americana Cria Casa Auto-Suficiente Modular Que Não Usa Combustíveis Fósseis