Com 4,3 GW em 2020 Energia Solar no Brasil Pode Aumentar em 2021

Em meio à pandemia, somente no primeiro trimestre do ano passado, a energia solar no Brasil atingiu 1,5 GW.

A energia solar no Brasil viveu um ano histórico em 2020. O país atingiu 4,3 Gigawatts (GW) de capacidade total, mesmo enfrentando uma grande crise econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus. 

Para 2021, a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) espera que o setor de energia solar dobre sua capacidade de instalação, devido ao aumento do consumo elétrico usual e os novos acréscimos na conta de luz.

Energia Solar no Brasil em 2020

O segmento de Geração Distribuída (GD) atrai a cada ano mais brasileiros que desejam gerar sua própria energia (Divulgação/Eletra)

Segundo a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), o volume de módulos fotovoltaicos importados no país no primeiro semestre de 2020 foi de 2,49 GW, um aumento de 92% em relação ao registrado no mesmo período de 2019, através de dados levantados pela consultoria Greener. 

A empresa identificou que, embora as flutuações abruptas do câmbio no ano anterior tenham impactado o custo dos sistemas (pois o setor foi afetado devido à grande importação parte dos equipamentos utilizados) —  estas foram marginalmente repassadas ao cliente final e, em muitos casos, os preços ficaram estáveis.

Quando comparado ao segundo semestre de 2019, o volume representa uma redução de 12%, refletindo uma parte dos efeitos da Covid-19 no mercado. Contudo, historicamente, os segundos semestres têm mais instalações de geração distribuída do que os primeiros. 

Ainda de acordo com a Greener, há um pipeline superior a 1,5 GW de projetos de geração distribuída remota em desenvolvimento, dos quais ao menos 600 MW já possuem contratos firmados com consumidores. O segmento de Geração Distribuída (GD) atrai a cada ano mais brasileiros que desejam gerar sua própria energia por meio de fontes de energia renováveis.

“O mercado de GD remota para locação está movimentando mais de R$ 3 bilhões e outros R$ 5 bilhões deverão ser investidos”, disse o diretor da empresa, Marcio Takata.

Motivação da Escolha de Energia Solar no Brasil

Os consumidores residenciais são os mais interessados em energia solar no Brasil. (Reprodução/Pixabay)

Segundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a escolha da maioria dos “prosumidores” (nomenclatura para se referir a quem produz sua própria energia) opta pela energia solar, que alimenta mais de 99% dos micros e mini geradores instalados.

Entre as razões para a preferência de energia solar no Brasil, estão as dezenas de linhas de financiamento para aquisição dos sistemas, o rápido retorno do investimento (payback) e a longa vida útil do painel solar.

Divulgação/Ironildo Machado/Insole

Ainda de acordo com a Aneel, os consumidores residenciais são os mais interessados, com 73,16% dos projetos homologados, seguidos pelas instalações comerciais (16,93%), rurais (6,99%) e industriais (2,48%).

No geral, já são quase 359 mil estabelecimentos no país equipados com um kit de energia solar, que representam um crescimento anual médio do setor de mais de 200% desde 2015.

Futuro da Energia Solar no Brasil

Reprodução/Diário De Pernambuco

Mesmo com os números favoráveis de adesão da energia solar no Brasil, o mercado ainda é incipiente em relação a quase 90 milhões de consumidores de energia do país. Mesmo assim, o país apresenta grande potencial de crescimento para os próximos anos.

De acordo com o último Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE) do governo, o Brasil pode atingir aproximadamente 22,7 GW de energia solar distribuída até o final de 2030. 

Além disso, a energia solar fotovoltaica deve passar por uma expansão significativa no Brasil nos próximos 30 anos e atingir até 90 GW apenas em geração centralizada, de acordo com o Plano Nacional de Energia 2050.

Leia Também

No post here!