Australianos Projetam IA que Desenvolve Energia Solar de Baixo Custo

Pesquisadores revelaram uma nova plataforma de inteligência artificial que tem o potencial de acelerar o desenvolvimento de células solares de próxima geração, com alto desempenho e de baixo custo.

Se os filmes forem verdadeiros, a inteligência artificial é uma passagem unilateral para um futuro distópico, com filmes como O Exterminador do Futuro, Blade Runner e Matrix apontando para um futuro sombrio para a humanidade. Porém, de acordo com pesquisadores australianos, a IA pode realmente desempenhar um papel importante na prevenção da crise climática.

Os pesquisadores revelaram uma nova plataforma de inteligência artificial que tem o potencial de acelerar o desenvolvimento de células solares de próxima geração, com alto desempenho e de baixo custo. 

Pesquisadores do ARC Centre of Excellence in Exciton Science em Melbourne, demonstraram com sucesso um novo tipo de modelo de aprendizado de máquina que é capaz de prever a eficiência de conversão de energia de novos materiais, incluindo aqueles usados ​​em células solares orgânicas de próxima geração.

Como Funciona a nova Descoberta?

Com a ajuda de pesquisadores da RMIT University e da Monash University, a nova plataforma de inteligência artificial é significativamente mais rápida do que outros programas de aprendizado de máquina e seu código-fonte foi liberado gratuitamente para uso por outros pesquisadores.

“Acreditamos que o novo modelo pode ajudar a acelerar o desenvolvimento de células solares orgânicas baratas e eficientes, visto como uma alternativa potencialmente mais barata às células solares tradicionais à base de silício, mas que ainda não alcançaram implantação comercial em larga escala”, dizem os estudiosos.

Existe uma ampla gama de materiais potenciais que podem ser adequados para uso em células solares orgânicas, e identificar os materiais ideais tem sido o foco de uma quantidade significativa de pesquisas sobre energia solar. O uso de algoritmos de inteligência artificial tem o potencial de acelerar a avaliação de materiais prospectivos, bem como de materiais que ainda não foram criados, por meio da modelagem de versões virtuais dos materiais por meio de computadores.

Os pesquisadores afirmam ainda, que o uso de inteligência artificial também forneceria resultados potencialmente mais consistentes do que experimentos baseados em laboratório em materiais prospectivos, permitindo bases mais consistentes para comparação. “Nosso objetivo é demonstrar que é simples, descritores moleculares interpretáveis ​​e métodos de aprendizado de máquina podem modelar e prever propriedades fotovoltaicas orgânicas importantes ”, afirmam os pesquisadores no artigo.

Embora seja claramente ideal modelar propriedades medidas experimentalmente diretamente, existem muitas variáveis ​​que podem afetar as métricas de desempenho fotovoltaico orgânico, por exemplo, o design do dispositivo; condições de processamento; dopantes, corantes, solventes e outros aditivos; e outros. Assim, as propriedades fotovoltaicas orgânicas medidas podem variar de experimento para experimento e entre os laboratórios. 

Algoritmos de aprendizado de máquina anteriores eram computacionalmente intensivos e caros, envolvendo cálculos no nível quântico, diminuindo a taxa em que novos materiais podem ser avaliados e exigindo o uso de uma grande quantidade de recursos computacionais.

Para conferir a pesquisa completa, acesse este link.

Entenda como a energia solar usa inteligência artificial

Reprodão/Pixabay

Pensando em energia fotovoltaica, a inteligência artificial (AI) consiste em uma série de técnicas com foco em modelar, controlar ou prever o desempenho dos sistemas de energia. Sistemas de energia envolvem uma grande demanda de processamento computacional, rotinas matemáticas e regras complexas.

Dessa forma, técnicas e tecnologias com o poder de aprender a partir dos padrões de informação multidimensional são extremamente úteis. E aqui temos um dos maiores poderes desta tecnologia, o aprendizado.

Como o próprio nome diz, a inteligência artificial (AI), consiste na aplicação de uma análise avançada e técnicas baseadas em lógica, para interpretar eventos, apoiar e automatizar decisões e realizar ações.