Engenheiros Russos Criam Primeiro Ecranoplano Movido a Energia Solar

O modelo inédito é fruto de um dos vários laboratórios de pesquisa da Universidade Politécnica de São Petersburgo

A Rússia soviética tem uma longa história de experiências e criações relacionadas à ciência e tecnologia. Uma das mais importantes, sem sombra de dúvidas, é o Ecranoplano nos anos 60. Passados 60 anos de sua criação, estudantes e cientistas russos da Universidade Politécnica de São Petersburgo (UPSPb) desenvolveram o Storm-600, um ecranoplano não tripulado e movido a energia solar.

De acordo com Alexei Maistro, chefe do projeto e pesquisador da Escola Superior de Física e Tecnologia de Materiais da UPSPb, o grande atrativo deste dispositivo é que ele, literalmente, flutua acima da água. Isso acontece devido ao efeito solo: o perfil de suas asas cria uma zona de alta pressão por baixo das mesmas, formando um ‘colchão de ar’ contra a água, do qual o ecranoplano se apoia durante o voo. 

“Nosso veículo tem ‘asas longas’, portanto se move ao longo da própria almofada de ar. Nas aulas de física da escola, o experimento é demonstrado quando uma bola de tênis paira no fluxo de ar do aspirador de pó: ela não cai e não voa. O mesmo princípio é usado aqui”, explica o físico.

Ecranoplano se movimenta via GPS e por sistema LiDAR (Light Detection and Ranging) que permite detectar e evitar obstáculos. (Divulgação/Petersburg Polytechnic University)

Ainda segundo Alexei, a energia da bateria de seus motores é fornecida por uma série de painéis fotovoltaicos (energia solar) situados em sua parte superior, permitindo que a embarcação permaneça acionada por longos períodos de tempo, sem precisar retornar à base para reabastecimento. O projeto ainda conta com sistema de armazenamento de energia em seu interior, que pode guardá-la para momentos de pouca ou nenhuma luz.

Em relação ao modo de locomoção, o ecranoplano solar foi projetado para que seja operado sem a presença de um piloto de bordo. Por isso, se movimenta via GPS (radar convencional baseado em ondas de rádio) e por sistema LiDAR (Light Detection and Ranging) que permite detectar e evitar obstáculos.

(Divulgação/Petersburg Polytechnic University)

Por não precisar de cabine para piloto e ser movido à energia solar (sem tanques de combustível), o Storm-600 é bastante leve. Por esse motivo, possui uma velocidade máxima teórica de 200 km/h (124 mph), embora os projetistas esperem aumentar esse número para 300 km/h (186 mph).

Junto a seu grupo de estudos, Alexei prevê que o Storm-600 seja testado no rio Neva, em São Petersburgo, no final deste ano. Para comercializar o projeto, planejam que ele seja utilizado para operações de patrulhamento, busca e resgate; para entrega de carga e como uma plataforma de carregamento móvel para drones aéreos e subaquáticos movidos à energia fotovoltaica.

A História dos Ecranoplanos

O mais famoso deles foi o ecranoplano nomeado “Monstro do Mar Cáspio”. (Divulgação/Ministério da Defesa da Rússia)

Os soviéticos criaram estes veículos na década de 1960, durante a Guerra Fria. A principal motivação era possuir um grande e rápido veículo que flutuasse sobre a água (a poucos metros de altitude) e que, ainda assim, pudesse passar despercebidos pelos radares norte-americanos.

Os ecranoplanos são como um cruzamento entre um avião e barco. Seu sistema de locomoção lhes permite voar logo acima da superfície da água, movendo-se muito mais rápido que um barco enquanto consome menos combustível do que uma aeronave convencional. Apesar de suas características, são classificados como embarcações pela Organização Marítima Internacional. 

O mais famoso deles foi o ecranoplano nomeado “Monstro do Mar Cáspio”, que serviu à união Soviética entre 1966 até 1980,  quando sofreu um acidente causado por erro humano.

Recentemente, o governo russo comunicou que está desenvolvendo um novo ecranoplano militar — o moderno Seagull. O veículo terá cerca de 10% do peso bruto total do antigo Monstro do Mar Cáspio, com capacidade para até 100 pessoas à bordo. Seus primeiros testes estão marcados para meados de 2023.

Leia Também

No post here!